sexta-feira, 26 de maio de 2017

O PODER DA ORAÇÃO - Oração de proteção do Arcanjo Metatron.

Oração de proteção


Resultado de imagem para O PODER DA ORAÇÃO - Oração de proteção do Arcanjo Metatron.


Ó senhor Metatron!

Arcanjo amado com vossa legião de serafins,
Vós sois a dádiva da infinita bem-aventurança,
Que vem para recolher os filhos da luz para seu reino prometido,
A vós nos entregamos confiantes,
E suplicamos permissão para estar em vossa irradiação!

Metatron, senhor dos sete raios
Anjo das sete estrelas,
 
Vinde com vossa luz radiante nos abençoar,
 
Vinde com a estrela de raio azul estabelecer o poder divino na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio amarelo estabelecer a sabedoria divina na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio rosa estabelecer o amor divino na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio violeta estabelecer a liberdade divina na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio rubi-dourado estabelecer a serenidade divina na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio verde esmeralda estabelecer a cura divina na Terra,
 
Vinde com a estrela de raio branco estabelecer a pureza divina na Terra.
 
E com toda fé, amor e poder,
Amém!

SAÚDE E EQUILÍBRIO - Como saber se o parceiro tem HPV? Tire 11 dúvidas

Como saber se o parceiro tem HPV? Tire 11 dúvidas


Muito se fala sobre o HPV, mas você sabe realmente o que é, como se evita e trata? Confira abaixo essas e outras respostas, listadas por Fred Wyand, diretor de comunicações da Associação Americana de Saúde Sexual, e divulgadas pelo site da revista americana Cosmopolitan:

O que é HPV?
Papilomavírus Humanos (HPV) é um grupo de vírus que infectam a pele. Há mais de 100 tipos diferentes de HPV, sendo que alguns levam a verrugas genitais ou alterações celulares anormais no colo do útero, que podem causar câncer. Outros tipos não são sexualmente transmissíveis e podem aparecer como verrugas nas mãos ou pés.

Meu ginecologista disse que tenho HPV. Quão perigoso é?
Não se preocupe, o HPV é normal. Estima-se 14 milhões de novas infecções nos Estados Unidos a cada ano e que 75% dos adultos sexualmente ativos terão HPV genital em algum momento de suas vidas. Embora possa evoluir para uma doença grave (câncer do colo do útero, vagina, vulva, ânus, cabeça, pescoço ou boca), 90% dos casos são totalmente inofensivos e somem naturalmente. É fundamental fazer papanicolau regularmente para identificar o problema e tratá-lo. 
 Homens também têm HPV?
Sim, mas, como todas as doenças sexualmente transmissíveis, as mulheres são mais vulneráveis.

Como se contrai HPV?
É transmitido por meio do contato entre peles. Pode ser por meio do sexo vaginal, anal ou oral, ou ainda só de encostar nos órgãos genitais de um parceiro infectado.

Como posso me proteger?
Preservativo reduz as taxas de transmissão, embora você ainda possa ter HPV por meio do contato com a pele ao redor do pênis de um homem. Opte por camisinhas sem espermicida, porque os produtos químicos dele podem causar irritação e inflamação, o que facilita a transmissão da doença.

Devo tomar a vacina?
Sim, é incrivelmente eficaz. Mas vale lembrar que não protege contra todos os tipos de vírus da doença. 

Embora seja geralmente assintomático, o HPV tem grande chance de apresentar verrugas genitais Foto: Getty Images
Embora seja geralmente assintomático, o HPV tem grande chance de apresentar verrugas genitais
Como posso saber se tenho HPV?
Embora seja geralmente assintomático, há uma chance de apresentar verrugas genitais. O ginecologista também verifica alterações cervicais anormais desencadeadas pelo HPV como parte dos exames de rotina.

Tenho algumas protuberâncias estranhas ao longo da linha da calcinha. O que devo fazer?
Marque uma consulta com seu ginecologista. Pelos encravados e outras irritações da pele são muitas vezes confundidos com verrugas. Se forem verrugas, o médico pode eliminá-la, mas não significa que esteja livre do HPV.

O que posso fazer para me livrar do HPV?
Não há cura médica, mas cerca de 90% dos casos são resolvidos naturalmente pelo sistema imunológico em dois anos. Mesmo depois que desaparece, pode reaparecer mais tarde, especialmente se o sistema imunológico estiver enfraquecido. Para aumentar as chances de eliminar, não fume (cigarro pode dificultar a resposta imune), coma bem, durma o suficiente, pratique exercícios fiscos e aposte em vitaminas do complexo B.

Como posso saber se o parceiro está infectado?
A coisa frustrante sobre HPV é que não há como saber se o parceiro tem, a menos que ele apresente verrugas no pênis, escroto, ânus ou na virilha. E não há um teste para os homens. Então, aposte na sua segurança usando um preservativo.

Meu namorado e eu temos HPV. Como podemos nos proteger de passá-lo mais ainda entre nós?
O uso de preservativos pode ajudar a se “limpar” do vírus mais rápido.

Como é o tratamento do HPV no homem?

O tratamento para o HPV tanto no homem como na mulher é igual, variando conforme a localização e formato das verrugas. É comum o tratamento tópico (na pele) com substâncias como o Albocresil (policresuleno),  podofilina, o ácido tricloroacético, o 5 - fluoracil, a podofilotoxina e o imiquimod. Ele também pode ser feito com cauterização elétrica, laser, crioterapia e de forma cirúrgica.
O tratamento para o HPV no homem pode ser feito de várias maneiras.

Formas de tratamento para o HPV

“Como eu posso tratar o HPV?” “O HPV tem cura no homem?” Existem várias formas de tratamento para o HPV e conseguir a cura, mas para isso é importantíssimo que o tratamento seja levado a sério até o final. A maioria delas destruirá o tecido doente e pode ser feito por:
Criocirurgia: é um tratamento feito com nitrogênio líquido, que congela e destrói o tecido alterado pelo vírus;
Laser: é utilizado em alguns tipos de cirurgia para cortar ou destruir o tecido onde estão as lesões;
CAF (cirurgia de alta frequência):  cirurgia que utiliza um bisturi elétrico de baixa voltagem e alta freqüência de corrente para remoção e cauterização da lesão;
ATA (ácido tricloroacético a 70%):  ácido aplicado pelo médico diretamente nas lesões.
Conização: um pedaço de tecido em forma de cone é retirado com o auxílio do bisturi, do laser ou da CAF;
Medicamentos:
Em algumas situações pode-se utilizar medicamentos que melhoram o sistema de defesa do organismo, como pomadas (por exemplo, o Ixium) .
A qualquer sinal de lesões causadas pelo HPV (as cristas de galo ou condilomas acuminados) procure seu urologista.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O PODER DA ORAÇÃO - Oração de Proteção e Libertação da Inveja

Proteção e Libertação da Inveja


 Senhor mande vosso Arcanjo Miguel proteger-me de todos os olhares invejosos e da língua traiçoeira.
Que o Arcanjo Miguel, esteja na porta de entrada e saída de minha casa, afugente todo espírito de inveja e afaste do meu ambiente de trabalho (dizer o lugar) situações de discórdia e competição desmedida.
 Senhor livre-me a mim também do sentimento de inveja, que é um dos pecados de minha fraqueza humana.
Revesti-me, Senhor, das virtudes que me faltam e me são necessárias.
Agi Senhor, em minha vida, de tal forma que eu tenha coragem de deixar a criatura velha, marcada pelo pecado e pelas trevas, e ressurgir como criatura nova da luz e do amor.
 Quero agir de acordo com Vossa Santa Vontade.
Sondai-me, Senhor, ide até o íntimo do meu ser, libertai-me de todo o egoísmo, maldade e inveja e revesti-me do amor fraterno e da caridade.
Agi em mim, Senhor e fazei de mim uma obra nova.
 Amém.



Pe. Reginaldo Manzotti.

O PODER DAS PEDRAS E CRISTAIS - Quartzo Verde

Quartzo Verde

 


Quartzo verde: trabalha com o timo, propicia recuperação geral e resistência imunológica. Traz equilíbrio, calma, centramento, saúde e prosperidade.

É a pedra da cura . Usada como base da terapia com cristais o quartzo verde fortalece a saúde de uma maneira geral, proporcionando o equilíbrio emocional trazendo força, coragem e disposição .

QUARTZO_VERDE Atua principalmente na região do Chakra cardíaco que é o centro emocional e o centro de cura do ser humano (a cor que rege o chakra cardíaco é a verde). Portanto pode ser usado para todo e qualquer tipo de problema de saúde.

Sua composição é também de Dióxido de Silício, portanto de ação REJUVENECEDORA, é um grande remineralizante e adstringente. Evita inclusive estrias, celulite e flacidez.

É bom para ajudar curar unhas, pele, rugas, queda de cabelo, zumbido, varizes e regularizar o colesterol.

Os alimentos que você encontra o silício são: aveia, cevada, espinafre, beterraba, aspargos, alface, tomate, couve, figo e morango.

Em casa, é melhor que as pedras verdes sejam usadas no banheiro, pois são pedras de cura e lá é lugar de se aliviar, inclusive de emoções, certo? Deixamos tudo no banho, por isso é bom que o quartzo verde esteja lá, para curar o ambiente e não deixar sair nada para o resto da casa.

Dicas Terapêuticas - A Terapia das Aguas para cura

A Terapia das Aguas 


O assunto da hora é beber água para termos saúde.
 


É fato que o nosso corpo é formado por líquidos, cerca de 70%. Por isso, desde a infância ouvimos que beber água é essencial para a saúde, mas na prática, a coisa é diferente. Na correria do dia-a-dia, muita gente sequer toma um copo desse presente dos céus.
E acredite, por não termos o hábito de berber água, a nossa sensibilidade à sede diminui, isto é, passamos a sentir menos sede com o passar dos anos, com efeito, o processo de envelhecimeto acelera e outros sintomas aparecem, como dor de cabeça, prisão de ventre e pele seca.
Segundo a tradicional medicina indiana, a água é uma verdadeira fonte de juventude. Além de muitos outros benefícios.
Mas quanto de água devemos beber? Bom, fala-se sempre para ingerirmos até dois litros por dia, mas acredito que essa medida é bastante individual. Existem pessoas com massa corporal maior, portanto, o consumo deverá ser maior.
E como é essa água que devemos beber? Para começar, límpida, cristalina e inodora. É bom dar preferência para água mineral.

Outra coisa, é recomendável que evite água gelada, pois a bendita apaga a possibilidade de uma digestão saudável, ocasionando o acúmulo de toxinas dos alimentos, que não foram diregidos perfeitamente, levando-nos assim, a envelhecer.
Mas, depois que você ler toda a matéria postada aqui neste blog sobre a água, que é pura fonte de vida, certamente mudará os seus conceitos.

A seguir, trechos sobre a cura da água, publicada por uma associação japonesa.
Resultado de imagem para Dicas Terapêuticas - A Terapia das Aguas

OBJETIVO DA CURA:

Tratamento das seguintes doenças.
Medicina interna: dores de cabeça, hipertensão, anemia, artrite, reumatismo, paralisia geral, obesidade, taquicardia (palpitação do coração), astenia ( cansaço geral), tosse, asma, bronquite, tuberculose, meningite, doença hepática (fígado), uropatia (rins), mipo-acide, piose gástrica, disenteria (ulceração dos intestinos), prolapso reta (queda do órgão) ,constipação, hemorróides, diabetes. Oftalmologia: menorragia ou pálmica dos olhos, astena ( cansaço na vista) Otorrinolaringologia: zumbido nos ouvidos, rinite (infecção na garganta). Ginecologia: câncer do útero, menstruação irregular, leucorréia, câncer no seio. Esta cura d água pode parecer, para alguns, inconcebível, mas os fatos comprovam que ela é fundamentada e recomendada. * Beber uma quantidade considerável de água de uma vez só, torna o cólon mais eficaz para produzir mais sangue renovado, realidade reconhecida em termos médicos como "HEMATOPOESE": formação e renovação de glóbulos sangüíneos. * Isto é possível pela ativação das dobras das mucosas que se encontram no cólon e intestino e que absorvem os elementos nutritivos dos alimentos que ingerimos e que transformam em um sangue novo e fresco. 

* Esta teoria foi publicada em um artigo escrito por um professor japonês de uma universidade médica, há sete anos. 
* Em geral devido a insuficiência do cólon, o homem sente-se esgotado, adoece e dificilmente consegue se curar.
 * O cólon de um adulto mede aproximadamente 2,5 cm de comprimento, podendo absorver os elementos nutritivos que o corpo recebe. Se o cólon estiver limpo então os nutrientes dos alimentos que ingerimos várias vezes por dia serão completamente absorvidos pelas dobras da mucosa do cólon que os conduz a corrente sangüínea , gerando assim um sangue novo e fresco para o organismo. 
* Esse sangue novo se encarregará de curar as nossas doenças e ele é considerado a principal força do restabelecimento da saúde. Em outras palavras: a terapia d água nos tornará sadios e prolongará a nossa vida. 

Imagem relacionada

PONTOS A CONSIDERAR :

Existem alguns particulares que devemos observar a respeito da cura da água:
Uma pessoa que está doente pode achar difícil beber 6 copos de água de uma vez, mas, deve ter paciência, experimentar andar ou correr alguns momentos (entre 2 a 3 copos para o outro fazer um espaço de alguns minutos). Poderá então conseguir tomar toda a quantidade de água exigida. Após ter bebido toda a água, deve-se fazer exercícios, durante 20 minutos, seja correndo ou jopping ( pular no mesmo lugar). Uma pessoa doente que não consegue levantar-se, após tomar a água, fazer respiração profunda no leito e massagem no abdômen, o que ajuda a conduzir a passagem da água no colón, de modo a lavar as dobras da mucosa intestinal. Passado sete anos, esse professor da Universidade do Japão, publicou uma tese sobre a função da hematopoese (formação dos glóbulos sangüíneos) e até hoje, sua teoria não foi contestada. As pessoas que fazem essa terapia, podem beber durante as refeições, a bebida habitual (que está acostumado), mas, não deve tomá-la antes de duas horas após as refeições. Devem também evitar ingerir comida sólida antes de deitar-se, sobretudo massas.

ALGUMAS INSTRUÇÕES GERAIS:

O muito ou pouco de água, que se consegue tomar, principalmente no inicio, seguramente trás bons resultados. Aconselha-se aumentar aos poucos (se não se conseguir da primeira vez), até chegar aos seis copos. Aconselha-se, ainda colocar a água que se vai beber de noite, num único recipiente, de modo que os resíduos, ou elementos químicos, depositem-se, no fundo da vasilha durante a noite. É importante, após tomar água, massagear o abdômen, ou fazer ginástica. Sabendo-se, que 90% do nosso corpo é composto de água, esta terapia, não pode ser prejudicial de modo algum. Está provado que ela é benéfica. 


Fonte: Ana Benicia /vidaeartenamesa.blogspot.com.br

DICAS TERAPÊUTICA - PODER NUTRIVIO E MEDICINAL DO MANJERICÃO

MANJERICÃO - Anti-Envelhecimento


 

O poder nutritivo e medicinal do manjericão é notável, dada sua quantidade de vitaminas, minerais, e fito nutrientes. É conhecida desde os tempos antigos, quando era usada pelos gregos como símbolo de paz, harmonia e felicidade. Primo do funcho, do cominho e da erva-doce, contém químicos naturais, como o sabineno eugenol, cimeno, linalol, acetato de linalilo, e terpineol, compostos conhecidos por suas propriedades anti-inflamatórias e anti-bacterianas.

O manjericão possui níveis impressionantes de Vitamina C (ácido ascórbico). Por cada 100 gramas, fornece 51,4 mcg ou 86% da DDR, a Dieta Diária Recomendada. O Ácido Ascórbico é um dos melhores antioxidantes naturais para o combate aos radicais livres, também reforça o Sistema Imune, é anti viral e acelera a cicatrização de feridas.

Esta erva também impressiona a Comunidade Científica por sua quantidade excepcionalmente alta de Vitamina A, luteína, betacaroteno, criptoxantina e de xanthins. Estes 3 últimos, quando juntos, formam um dos trios mais potentes contra o envelhecimento da pele, e contra doenças que possam atacar a pele.

Conhecida como antioxidante, e Vitamina A também é necessária para a manutenção de uma visão saudável, sendo ainda essencial para manter a saúde das membranas mucosas. Vegetais que conjugam Vitamina A e betacaroteno, como o manjericão, são conhecidos pela proteção que dão ao pulmão e à cavidade oral contra o câncer.

Esta erva é uma das melhores fontes de Vitamina K, que por sua vez é dedicada à construção da massa óssea e à manutenção da saúde da pele. Estudos científicos estabeleceram que limita os danos neuronais no cérebro, fazendo com que a Vitamina K seja relevante no tratamento da Doença de Alzheimer.

O manjericão com seu sabor levemente adocicado e picante, também nutre o corpo humano como manganês, zinco, ferro, cálcio, potássio, cobre, fibras, folatos, riboflavina, e tiamina. Para beneficiar-se de tantas propriedades pode-se usar esta erva diariamente como tempero. O detalhe é que deve ser adicionada no último instante de preparo, já que a cozedura destrói a maioria de suas propriedades naturais.

Para tratar dores musculares ou provocadas pela artrite, e também a flatulência, recomenda-se um chá morno de manjericão. Para a artrite reumatoide ou artrose, em especial, pode-se massagear a área a ser tratada com o seu óleo essencial.

Este óleo também pode ser usado no tratamento de infecções intestinais, para reduzir dores provocadas pelo período menstrual, ou para aliviar náuseas.


 
Popularmente leva outros nomes, como: Alfavaca, Alfavaca-cheirosa, Alfavaca-de-jardim, Alfavaca-doce, Alfavaca-d’américa, Basilicão, Basílico, Erva-real, Manjericão-branco, Manjericão-de-folha-larga, Manjericão-de-molho, Manjericão-doce, Manjericão-grande.
Já a séculos o manjericão é conhecido e utilizado por diversas culturas, para diversos fins, sejam místicos, religiosos, medicinais ou culinários, isso porque possui características peculiares das quais falaremos um pouco melhor agora.

Propriedades

As propriedades medicinais dessa planta geralmente não são bem difundidas, entretanto são muitas e vale a pena destacar algumas delas:
  • Combate o cansaço, depressão, enxaqueca e insônia
  • É antiespasmódico (suprime a contração do tecido muscular liso, especialmente em órgãos tubulares), digestivo, diurético e carminativo (eficaz no controle de gases)
  • Combate à falta de apetite, parasitas intestinais e dispepsias nervosas
  • Pode aumentar a secreção de leite em mulheres grávidas
  • Diminuir estados febris
  • Excelente para melhorar irritações cutâneas
  • Eficaz na cura de laringite e faringite
  • Desinflama aftas e mamilos doloridos
  • Combate à acne
  • Tem propriedades analgésicas, antissépticas e cicatrizantes
  • Além do mais, lhe atribuem características afrodisíacas
  • Ativa o sistema imunológico
  • Trabalha contra inflamações ósseo articulares

Como utilizá-la

Para que possamos desfrutar das propriedades dessa maravilhosa planta é possível utilizá-la de diferentes formas: infusões, pomadas, cozimentos, cataplasmas (práticas médicas homeopáticas), tinturas, loções, xaropes, bálsamos, em pó, sabões, cremes, seco ou fresco (uso externo), ou como condimento em saladas, comida vegetariana, sopas, carnes, macarronadas, molhos e ensopados (uso interno). Pode-se consumi-lo com azeite de oliva ou alho picado para todos os alimentos.

O cultivo de manjericão

Uma vantagem para essa planta é que não necessita de demasiado espaço para ter alguns ramos. O manjericão cresce abundantemente em vasos ou com plantio em solo se você dispõe de uma horta ou jardim, é importante que a planta receba sol sempre (6 – 8 horas de luz por dia), por isso é mais suscetível a crescimento no verão, apesar de poder-se colher folhas de manjericão durante todo o período que o tenha em cultivo. É importante mantê-lo “abrigado” de temperaturas mais baixas durante o inverno.
Resultado de imagem para DICAS TERAPÊUTICA - PODER NUTRITIVO E MEDICINAL DO MANJERICÃO

Se te interessa cultivar essa planta, todo o processo é bem simples, basta semeá-la diretamente em solo naturalmente fertilizado. Um dos segredos pra manter a planta saudável é sempre cortar as flores para prevenir que as mesmas o deixem crescer.
Sem dúvidas essa planta aromática possui propriedades maravilhosas e você pode começar a empregá-la não apenas na culinária, mas também na prevenção e combate a doenças mais comuns dentre as quais expusemos aqui. E que faça bom proveito!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

SAÚDE E EQUILÍBRIO - O poder das emoções sobre o coração…

O poder das emoções sobre o coração…

Alegria, raiva, tristeza, ansiedade, paixão. A ciência começa a explicar como os sentimentos podem proteger ou piorar a saúde cardíaca

 Resultado de imagem para O poder das emoções sobre o coração…
O coração é o símbolo das emoções. É como se todos os nossos sentimentos por ele passassem e nele deixassem suas marcas, as boas e as ruins. Milenar, essa concepção tem servido de matéria-prima para os poetas ao longo da história. Agora, a ciência está mostrando que a influência das emoções sobre o coração vai muito além da beleza da poesia. Novas pesquisas começam a revelar que amor, raiva, alegria, irritação, tristeza e toda a vasta gama de sentimentos experimentada pelo ser humano promovem modificações orgânicas de tal dimensão que podem contribuir de maneira decisiva para o vigor ou a falência do órgão. Pela primeira emovez, essas descobertas dão as pistas do real peso das emoções sobre a saúde cardíaca. E forma-se pelo mundo uma corrente de especialistas que defende a inclusão de sentimentos como ansiedade e depressão na lista dos fatores de risco para males cardiovasculares. Eles estariam ao lado do colesterol, da hipertensão, do sedentarismo e de outras ameaças conhecidas.
 Resultado de imagem para O poder das emoções sobre o coração…
GANHO Segundo Bacal, bons sentimentos
ajudam na fabricação das protetoras endorfinas.
O risco da ansiedade…
Empiricamente, médicos e cientistas intuíam, há décadas, que os sentimentos tinham um papel na manifestação das enfermidades cardíacas. Eles baseavam suas inferências nas observações que faziam da evolução dos pacientes, que podia ir melhor ou pior de acordo com o estado emocional. Há cerca de cinco anos, porém, começaram a surgir os primeiros estudos mais consistentes confirmando a associação entre a mente e o coração. Hoje, os trabalhos sobre o tema se multiplicaram e apresentam resultados tão coincidentes quanto preocupantes. Tome-se como exemplo os mais recentes. Na edição de janeiro do jornal do Colégio Americano de Cardiologia – uma das entidades mais importantes da área – está publicado um artigo revelando que a exposição crônica à ansiedade e aos outros sentimentos a ela conjugados, como o medo, eleva em 30% a 40% a chance de um indivíduo saudável sofrer um infarto. “O risco que constatamos diz respeito somente à ansiedade. Está além do que poderia ser explicado pela pressão arterial, obesidade, pelo fumo ou outros fatores”, explicou à ISTOÉ Biing-Jiun Shen, coordenador do trabalho e professor de psicologia da University of Southern California, onde o estudo foi realizado. As conclusões foram baseadas em avaliações feitas em 735 homens saudáveis, acompanhados durante 12 anos.
No ritmo certo…
A secretária Sueli Balbino Ponte, 52 anos, enfrentou fortes sintomas de síndrome do pânico por mais de 20 anos. “Era assustador. Sentia um aperto no coração e ele batia de um jeito que parecia que ia sair pela boca. Cheguei a pensar que morreria”, relembra. Ela já não saía mais de casa quando foi se tratar na Universidade Federal de São Paulo. “Fiz terapia e sessões de biofeedback, um exame que ajuda a entender como o corpo e o coração reagem às emoções”, conta. “Também aprendi exercícios de respiração para controlar a ansiedade e os batimentos cardíacos. Recuperei minha qualidade de vida”, conta Sueli.
Outros trabalhos intrigantes dizem respeito ao papel da depressão. Há três meses, médicos do departamento de psiquiatria da Universidade de Colúmbia (EUA) divulgaram estudo no qual mostram que a doença praticamente triplica o risco de morte após um infarto. E no início do mês, cientistas de instituições americanas reconhecidas mundialmente, como Universidade de Harvard, de Yale e da Clínica Mayo, publicaram um artigo no Journal of Affective Disorders revelando que os efeitos negativos da doença sobre o coração permanecem mesmo após cinco anos. “Achávamos que a influência era mais forte até os primeiros seis meses depois do infarto. Mas não foi isso o que descobrimos”, explicou Robert Carney, professor da Universidade de Washington e líder do estudo.
As investigações sobre o impacto da presença concomitante de ansiedade e depressão são ainda mais assustadoras. É possível ter uma idéia de quanto essa combinação pode ser uma bomba para o coração a partir de trabalhos como o da Universidade de Montreal, no Canadá, publicado na edição de janeiro do Archives of General Psychiatry. Após entrevistar 804 portadores de doença coronariana sob controle, os cientistas verificaram que aqueles que se mostravam ansiosos e depressivos apresentavam o dobro de possibilidade de sofrer um novo infarto em comparação aos que não manifestavam as mesmas emoções. Mas há outros dados preocupantes na pesquisa. “Descobrimos também que os pacientes cardíacos são mais depressivos e ansiosos do que a população em geral”, contou à ISTOÉ Nancy Frasure Smith, coordenadora do trabalho.
Do cérebro ao músculo cardíaco…
Ao mesmo tempo que crescem as evidências da atuação dos sentimentos sobre o coração, aumentam as investigações para elucidar de que maneira eles interferem no mecanismo cardíaco. Trata- se de uma pesquisa refinada, que se vale das ainda não muito numerosas informações sobre como se dão as ligações entre o cérebro, onde os sentimentos são processados, e o coração. Por enquanto, o que se sabe é que as emoções, tanto as boas quanto as ruins, disparam no cérebro dois processos. “O primeiro é o envio de sinais elétricos ao músculo cardíaco, via sistema nervoso. Isso vai repercutir no ritmo dos batimentos”, explica Ricardo Monezi, professor de fisiologia do comportamento da PUC/SP e pesquisador da Universidade Federal de São Paulo. “O segundo é a produção de uma cascata de substâncias químicas que terão impacto em várias estruturas do coração”, afirma.
Embora os caminhos sejam os mesmos, as repercussões irão variar de acordo com a natureza da emoção. Até este momento, conhece-se mais o que ocorre quando elas são negativas. Irritação, mágoa e tristeza, por exemplo, causam a redução do calibre dos vasos sangüíneos, provocando a elevação da pressão arterial. Também há aumento da freqüência cardíaca. Só estes dois fatores já obrigam o músculo cardíaco a trabalhar mais. E se essa situação se torna crônica, o desgaste fica maior.
Síndrome do coração partido…
Entretanto, há mais complicações que só agora começam a ser identificadas. Uma delas foi revelada há um mês por cientistas da Indiana University- Purdue University Indianapolis (EUA). Eles foram responsáveis por uma pesquisa que comprovou pela primeira vez que sentimentos de hostilidade e depressão aumentam a produção de duas substâncias inflamatórias, a interleucina-6 e a proteína C-reativa. Isso é péssimo para o coração. Hoje, a aterosclerose, doença caracterizada pelo acúmulo de placas de gordura nas artérias, já é conceituada como uma enfermidade inflamatória. Isso porque se acredita que a inflamação tenha um papel-chave no desenvolvimento do problema. “Por isso, a circulação de grandes quantidades de substâncias inflamatórias contribui para agravar a doença”, explicou à ISTOÉ Jesse Stewart, coordenador da pesquisa.
No ritmo certo…
A secretária Sueli Balbino Ponte, 52 anos, enfrentou fortes sintomas de síndrome do pânico por mais de 20 anos. “Era assustador. Sentia um aperto no coração e ele batia de um jeito que parecia que ia sair pela boca. Cheguei a pensar que morreria”, relembra. Ela já não saía mais de casa quando foi se tratar na Universidade Federal de São Paulo. “Fiz terapia e sessões de biofeedback, um exame que ajuda a entender como o corpo e o coração reagem às emoções”, conta. “Também aprendi exercícios de respiração para controlar a ansiedade e os batimentos cardíacos. Recuperei minha qualidade de vida”, conta Sueli.
Um dos fenômenos que mais têm chamado a atenção dos médicos, porém, é a ocorrência da chamada síndrome do coração partido. Trata-se de um problema singular e diretamente relacionado às emoções: ele atinge indivíduos sem fator de risco tradicional, mas submetidos a sentimentos negativos de forma crônica ou aguda. Mesmo sem uma artéria obstruída por placas de gordura, por exemplo, o paciente sofre os sintomas de um infarto, como dor no peito, e acaba apresentando um espasmo nas artérias coronárias, as que irrigam o coração, além de ficar com o músculo cardíaco dilatado.
Proteção garantida 
Os primeiros casos começaram a ser registrados há cerca de dez anos. Hoje, há registros em todo o mundo, inclusive no Brasil. O tratamento é o mesmo dado a casos de infarto, mas sem a necessidade de desobstrução das artérias. Entre os medicamentos indicados estão os betabloqueadores. “Eles blindam o coração da descarga de adrenalina que ocorre nessas situações”, explica o cardiologista Marcelo Paiva, do Hospital Nove de Julho, em São Paulo. A adrenalina é liberada em situações de prolongada exposição a sentimentos negativos ou durante explosões de raiva, por exemplo. E em grande parte é ela a responsável pelos efeitos prejudiciais desses sentimentos. Bastar saber que é a adrenalina que, entre outras coisas, causa o estreitamento do calibre dos vasos sangüíneos. Por isso a razão de tentar controlar sua concentração no organismo.
AÇÃO Monezi diz que emoções produzem impacto em várias estruturas cardíacas
A boa notícia é que a ciência está descobrindo que, se fazem mal, as emoções também fazem bem ao nosso coração. Diversos estudos demonstram que as boas situações da vida, como a paixão e a alegria, disparam uma cadeia de reações – a exemplo das negativas -, mas com efeitos protetores. Nesses casos, há liberação de substâncias como a serotonina e a dopamina, que, entre outras funções, melhoram a atividade cardíaca e contribuem para regular a pressão arterial. “Além disso, há a fabricação de endorfinas”, explica o cardiologista Fernando Bacal, do Instituto do Coração e do Hospital Albert Einstein, de São Paulo.
Uma das consequências do “banho” de endorfina é a maior proteção do endotélio, o tecido que reveste a parede dos vasos sanguíneos. Tratando-se de saúde cardíaca, isso é fundamental. Quanto mais íntegro o endotélio, menor a chance de acúmulo de placas de gordura nessa superfície. Outra vantagem é que o sistema de defesa do organismo fica mais forte, deixando as estruturas cardíacas menos vulneráveis a infecções. Há mais ganhos. De acordo com um trabalho da Universidade de Ohio (EUA), quando um indivíduo controla melhor sua raiva, cresce a capacidade de o organismo se recuperar de eventuais lesões. A explicação, segundo o cientista Steve Bloom, do Imperial College London, é simples. “O corpo prioriza uma ação por vez. Se você está com raiva e estressado, ele irá primeiro lidar com esses sentimentos, antes de se dedicar a acelerar processos de cura”, disse.
Revolução na cardiologia…
Informações como essas tornaram-se preciosas para a moderna cardiologia e estão provocando uma revolução na maneira de cuidar do coração. “Hoje, temos certeza de que as emoções podem precipitar eventos cardíacos”, afirma o cardiologista Valdir Moisés, assessor médico em cardiologia do Fleury Medicina e Saúde, de São Paulo. Baseados nessa constatação, muitos especialistas defendem que é hora de incluir os sentimentos na lista dos fatores de risco oficiais para doenças cardiovasculares. “Já há evidências científicas suficientes para que emoções negativas, especialmente a depressão, sejam assim consideradas”, afirmou à ISTO É Jesse Stewart, da Indiana University-Purdue University Indianapolis. No Brasil, essa corrente também ganha força. No consultório do médico Costantino Costantini, diretor de um hospital especializado em cardiologia com sede em Curitiba, os doentes também têm suas emoções avaliadas, assim como os dados sobre colesterol e pressão arterial. “Considero que, dependendo de sua natureza, elas são sim fatores de risco”, justifica o especialista.
Mudança no tratamento…
A forma de tratar o coração também mudou. No receituário, em muitos casos há a indicação de antidepressivos ou ansiolíticos (contra ansiedade). “Receitamos quando é necessário”, explica o médico Ricardo Pavanello, supervisor de cardiologia do Hospital do Coração, de São Paulo. Também tornou-se imprescindível o suporte psicológico. Em centros de primeira linha, os serviços de psicologia são cada vez mais atuantes e têm uma missão tão difícil quanto especial. “Ajudamos os pacientes a dar novo significado à vida”, explica Maria Elenita Favarato, psicóloga-chefe do serviço de psicologia do Instituto do Coração (InCor).
De fato, o auxílio especializado é fundamental para que o paciente compreenda o processo emocional que contribuiu para levá-lo ao hospital. “O infarto é um jeito agressivo de mostrar que algumas coisas na vida não estão bem. Por isso é importante entender o que está acontecendo”, explica o cardiologista Carlos Alberto Pastore, diretor de serviços médicos do InCor. A terapia psicológica ajuda também o paciente a melhorar sua habilidade de lidar com as situações, tentando, por exemplo, evitar a exposição contínua às emoções negativas. E aumentar a capacidade de sentir só o que faz bem ao coração.
mi_8402662452200638

Coração….

É o órgão que representa sentimentos de perdas.
Quando uma pessoa permite que os problemas a afetem emocionalmente, as suas preocupações com relação ao futuro aumentam e seu coração padece fisicamente. A insuficiência da válvula mitral, por exemplo, significa que a pessoa, que acha que está sendo lesada, nutre sentimentos de vingança contra alguém próximo.
O medo de ver seus bens materiais diminuírem ou serem roubados; arrastar por muito tempo problemas emocionais; a falta de alegria de viver e o sentimento de ter o coração “apertado” de tanto sofrimento também conduzem a vários problemas cardíacos.
Normalmente as pessoas cardíacas são autoritárias, não admitem erros e têm um comportamento inflexível, sofrem do miocárdio, que enrijece. Mesmo que, julgando as aparências, você afirme que não é inflexível, faça uma reflexão sincera e responda a si mesmo: quantas vezes você teima, incansavelmente, por uma causa? Quantas vezes você não dorme direito só em pensar que podem estar passando-o para trás em alguma questão? Perceba e elimine aquele medo de ser abandonado pelas pessoas que você ama. Há pais, e mães, que passam a ter sérios problemas cardíacos – até fatais – quando um de seus filhos casa-se e afasta-se para outro local. Inclui-se nesta hipótese até a simples intenção, por parte dos filhos, de ir morar sozinho.